Cantigas de Roda - Cirandas

Também conhecidas como cirandas, são brincadeiras tradicionais com músicas, danças e coreografias. Elas são populares até hoje e fazem parte do nosso folclore.

Cantigas de roda: música infantil com coreografia
Cantigas de roda: música infantil com coreografia

 

O que são (definição)


As cantigas de roda, também conhecidas como cirandas são brincadeiras que consistem na formação de uma roda, com a participação de crianças, que cantam músicas de caráter folclórico, seguindo coreografias. São muito executadas em escolas, parques e outros espaços frequentados por crianças. As músicas e coreografias são criadas por anônimos, que adaptam músicas e melodias. Transmitidas oralmente, as letras das músicas são simples e trazem temas do universo infantil.

 

Alguns exemplos de cantigas de roda:


Capelinha de melão


Capelinha de melão 
É de São João 
É de cravo, é de rosa, 
É de manjericão 
São João está dormindo 
Não acorda, não 
Acordai, acordai, 
Acordai, João! 



Caranguejo 


Caranguejo não é peixe 
Caranguejo peixe é 
Caranguejo não é peixe 
Na vazante da maré. 
Palma, palma, palma, 
Pé, pé, pé 
Caranguejo só é peixe, na vazante da maré!



Atirei o pau no gato


Atirei o pau no gato, tô 
mas o gato, tô tô
não morreu, reu, reu 
dona Chica, cá cá
admirou-se, se se
do berrô, do berrô, que o gato deu, Miau! 



Ciranda cirandinha


Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar, vamos dar a meia-volta, volta e meia vamos dar 
O anel que tu me deste era vidro e se quebrou 
O amor que tu me tinhas era pouco e se acabou 
Por isso, D. Fulano entre dentro dessa roda 
Diga um verso bem bonito, diga adeus e vá-se embora 
A ciranda tem três filhas 
Todas três por batizar 
A mais velha delas todas 
Ciranda se vai chamar.



Escravos de Jó 


Escravos de Jó 
Jogavam caxangá 
Tira, bota, deixa o Zé Pereira ficar.
Guerreiros com guerreiros fazem zigue zigue zá 
Guerreiros com guerreiros fazem zigue zigue zá.



Peixe vivo


Como pode o peixo vivo
Viver fora da água fria
Como pode o peixe vivo
Viver fora da água fria
Como poderei viver
Como poderei viver
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia
Os pastores desta aldeia
Ja me fazem zombaria
Os pastores desta aldeia
Ja me fazem zombaria
Por me verem assim chorando
Por me verem assim chorando
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia.



O cravo e a rosa

 

O cravo brigou com a rosa

debaixo de uma escada.

O cravo saiu ferido

e a rosa, despedaçada

 

O cravo ficou doente,

 a rosa foi visitar.

O cravo teve um desmaio

e a rosa pôs-se a chorar.



Fui no Itororó


Fui na fonte do Itororó
Beber água e não achei.
Achei linda morena
Que no Itororó deixei.

Aproveite minha gente
Que uma noite não é nada.
Se não dormir agora
Dormirá de madrugada.

Ó Mariazinha!
Ó Mariazinha!
Entre nesta roda
E dançara sozinha.

Sozinha eu não danço
Nem devo dançar
Porque tenho o boto
Para ser meu par.



A canoa virou


A Canoa virou
Pois deixaram ela virar
Foi por causa da (nome da pessoa)
Que não soube remar

Se eu fosse um peixinho
E soubesse nadar
Eu tirava a (nome da pessoa)
Do fundo do mar

Siri pra cá
Siri pra lá
(Nome da Pessoa) é bela
E quer casar.



Sapo-cururu

 

Sapo-cururu,

Na beira do rio,

Quando o sapo canta,

Oh maninha,

É que está com frio

 

A mulher do sapo

Deve estar lá dentro

Fazendo rendinha

Oh, maninha,

Para o casamento.



Meu galinho

 

Há três noites que eu não durmo, o-lá-lá!

Pois perdi o meu galinho o-lá-lá!

Coitadinho, o-lá-lá!

Pobrezinho, o-lá-lá!

Eu perdi lá no jardim.

 

Ele é branco e amarelo, o-lá-lá!

Tem a crista vermelhinha, o-lá-lá!

Bate as asas, o-lá-lá!

Abre o bico, o-lá-lá!

Ele faz qui-ri-qui-qui!

 

Já rodei em Mato Grosso, o-lá-lá!

Amazonas e Pará, o-lá-lá!

Encontrei, o-lá-lá!

Meu galinho, o-lá-lá!

No sertão do Ceará.

 

 

Roda pião

 

Roda, roda, roda pião,
Cabeça de aço, corpo de algodão.

Roda, roda, roda pião,
Cabeça de aço, corpo de algodão.

Mão na cintura,
Pé no chão,
Roda, roda, roda pião,
Cabeça de aço, corpo de algodão.

 

 

ILustração colorida mostrando crianças de mãos dadas, felizes, brincado de roda

Cantiga de Roda: socialização com diversão.

 



Curiosidade

 

As letras das cantigas de roda podem variar de região para região do Brasil e até de cidade para cidade num mesmo estado. Isto ocorre, pois são transmitidas oralmente, sendo comum as pessoas modificarem algo na letra ao transmitirem para amigos, conhecidos e parentes.

Foto antiga mostrando crianças brincandeira de ciranda

Cantigas de roda: uma brincadeira antiga e muito tradicional (foto dos anos 1950)

 

 



Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).