América pré-colombiana

História resumida dos povos pré-colombianos da América, maias, incas e astecas, principais características, livro indicado.

Machu Picchu: a cidade perdida dos incas
Machu Picchu: a cidade perdida dos incas

 

Introdução


A América pré-colombiana era composta por civilizações que se desenvolveram na América Central e na América do Sul antes da chegada de Cristóvão Colombo, em 1492. As mais conhecidas são as civilizações maia, inca e asteca. Elas foram destruídas no século XVI pelos soldados espanhóis, que vieram para conquistar as terras do Novo Mundo em nome da Coroa Espanhola.


Os Incas


A civilização inca atingiu seu auge no século XV. Em apenas dois séculos, os incas dominaram, a partir de Cuzco, muitos povos que ocupavam os atuais territórios do Peru, Equador, Bolívia e Chile. Eles não conheciam a escrita, o ferro, nem a roda, mas seu império era muito estruturado e burocratizado, e sua sociedade uma das mais organizadas e disciplinadas que já existiram. Os incas adoravam o Sol, e em todo o império os templos eram dedicados a ele. O imperador, chamado “Inca”, era considerado o filho do Sol. Foram derrotados pelos espanhóis liderados por Francisco Pizarro.

 

Os Astecas


Os astecas fundaram sua capital, Tenochtitlán, em 1325, no local do atual México. Diz a lenda que a cidade foi construída onde havia uma águia pousada em um cacto, que acabara de comer uma cobra. Esta águia está representada na bandeira mexicana atual. A partir de sua capital, eles conquistaram terras vizinhas e forjaram alianças militares com outras cidades, até a chegada de Hernan Cortés. Sua sociedade era dividida em classes, e, tal como os maias, seus prisioneiros de guerra eram sacrificados ou escravizados. O imperador, por sua vez, era escolhido por um grande conselho. Os astecas sabiam escrever e fazer papel e também praticavam a astronomia. O comércio era altamente desenvolvido no império e a capital abrigava grandes mercados.


Os Maias


Os maias estavam organizados em estados independentes, sua sociedade era dividida em classes e as cidades eram governadas por famílias nobres. Suas maiores cidades foram Tikal e Calakmul, e depois Chichén Itzá e Uxmal, localizadas no sul do México, Guatemala e Honduras. No auge de sua cultura (séculos III e IV), os maias não sabiam como usar a roda e os metais para fazer ferramentas, mas praticavam a escrita, a astronomia e a matemática. Sua economia era baseada na agricultura, especialmente no cultivo de milho e cacau, cujos grãos serviam como moeda. Eles adoravam deuses relacionados à natureza (Sol, Chuva, Lua) e seus prisioneiros de guerra eram sacrificados ou escravizados. Do século VIII ao X, as grandes cidades maias foram gradualmente abandonadas sem que ninguém saiba o porquê (Tikal, Calakmul, Copán, Palenque). As cidades do norte (Chichen Itzá, Uxmal, Mayapan), no entanto, continuaram a florescer por alguns séculos, até a chegada dos conquistadores.


Pintura maia em um vaso, detalhe para a escrita maia no centro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pintura maia em um vaso do período clássico, com escrita maia no centro.



Fontes


http://pythacli.chez-alice.fr/civilisations/mayas.htm

https://www.clio.fr/CHRONOLOGIE/
chronologie_mexique_les_civilisations_precolombiennes.asp

http://www.ufscar.br/cursinhoufscar/civili_precolombiana.htm