Império Carolíngio

História do Império Carolíngio, Carlos Magno, resumo, mapa, características principais, conquistas, arte, educação, administração, coroação

Carlos Magno sendo coroado pelo papa Leão III (ano 800)
Carlos Magno sendo coroado pelo papa Leão III (ano 800)

 

Principais características e período histórico

 

O Império Carolíngio, também conhecido como o Império de Carlos Magno (768-814), foi o momento de maior esplendor do Reino Franco, que ocupava toda a região central da Europa. Com uma política voltada para o expansionismo militar, Carlos Magno expandiu o império para além dos limites conquistados por seu pai, Pepino, o Breve. Ele conquistou a Saxônia, a Lombardia, a Baviera e uma faixa do território da atual Espanha.

Embora suas conquistas militares tenham sido significativas, foi nas áreas cultural, educacional e administrativa que o Império Carolíngio demonstrou grande avanço. Carlos Magno preocupou-se em preservar a cultura greco-romana, investiu na construção de escolas, criou um novo sistema monetário e estimulou o desenvolvimento das artes. Graças a isso, o período ficou conhecido como o Renascimento Carolíngio.

 

Reforma educacional

 

Na área educacional, o monge inglês Alcuíno foi o responsável pelo desenvolvimento do projeto escolar de Carlos Magno. A manutenção dos conhecimentos clássicos (gregos e romanos) tornou-se o objetivo principal dessa reforma. As escolas funcionavam junto aos mosteiros (escolas monacais), aos bispados (escolas catedrais) ou às cortes (escolas palatinas). Nessas escolas eram ensinadas as sete artes liberais, quais sejam, aritmética, geometria, astronomia, música, gramática, retórica e dialética.

 

Administração territorial

 

Para facilitar a administração se seu vasto território, Carlos Magno criou um sistema bem eficiente. As regiões foram divididas em condados (administradas pelos condes). Para fiscalizar a atuação dos condes, foi criado o cargo de missi dominici, ocupado por funcionários enviados pelo imperador. Eles deveriam, portanto, verificar e avisar o imperador sobre a cobrança dos impostos, aaplicação das leis etc.

 

O centro administrativo do império era a corte palaciana, que por sua vez era formada por pessoas de confiança do imperador. Entre os principais funcionários da corte, podemos destacar: camareiro, camerlengo, senescal, copeiro, marechal e conde palatino.

 

O império não possuía uma capital fixa, mas sim itinerante, pois ela se fixava na cidade onde a corte estava.

 

Arte carolíngia

 

A arte carolíngia sofreu uma grande influência das culturas grega, romana e bizantina. Destacam-se a construção de palácios e igrejas, as iluminuras (livros com muitas ilustrações, com detalhes em dourado) e os relicários (recipientes decorados para guardar relíquias sagradas).

 

Coroação

 

No ano de 800, Carlos Magno aproximou-se da Igreja Católica e foi coroado imperador do Sacro Império Romano Germânico pelo papa Leão III. Dessa forma, colocou-se como defensor e disseminador da fé cristã através das terras dominadas.

 

Principais regiões conquistadas por Carlos Magno:


- Conquista da Germânia em 772.


- Conquista da Pavia em 774.


- Anexação do Ducado de Friuli (Itália).


- Conquista das Ilhas Baleares em 779.


- Conquista do Ducado de Spoleto na Itália em 780.


- Tomada da cidade de Barcelona em 801.

 

Enfraquecimento do império

 

Após a morte de Carlos Magno, em 814, o Império Carolíngio perdeu força. As terras do império foram divididas entre seus netos em 843, por meio do Tratado de Verdun.


Mapa do Império Carolíngio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mapa do Império Carolíngio no auge das conquistas (em destaque na cor vermelha)

 


Artigo publicado em: 20/12/07 - Última revisão: 18/10/18

___________________________________

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).