Instituições da República Romana

O Senado, as Magistraturas e Assembleia das Centurias foram as principais instituições da República Romana na Antiguidade.

Senado: principal instituição da República Romana
Senado: principal instituição da República Romana

 

Introdução  - resumo das características do período

 

O período histórico da República Romana vai de 509 a.C. a 27 a.C. Neste período, os patrícios dominavam politicamente Roma, pois somente eles podiam participar das magistraturas e do Senado Romano, deixando os plebeus e os clientes a margem das mais importantes decisões políticas.

 

Instituições da República Romana e suas funções:

 

Senado Romano

 

Era a principal instituição política da República Romana. Os senadores eram os responsáveis pela elaboração de projetos de lei. Eram também os senadores romanos que escolhiam os magistrados.

 

Magistraturas

 

- Consulado: tratavam das políticas interna e externa da República. O Consulado era composto por dois cônsules escolhidos pelo Senado.

 

- Pretores: eram os responsáveis pelo sistema judiciário da República. A aplicação das leis civis, por exemplo, ficava sob a responsabilidade dos pretores. Estes eram subordinados aos cônsules. Se um destes ficasse impedido de exercer o cargo, este era assumido por um pretor.

 

- Edis: eram espécies de prefeitos da República Romana. Eram responsáveis pela administração das cidades, policiamento, funcionamento dos mercados e aplicação de leis relacionados aos fatos ocorridos e ligados à vida urbana.

 

- Questores: tinham a função de administrar a vida financeira da República Romana. Geralmente, o cargo de questor era desempenhado por um membro do senado com menos de 32 anos.

 

Assembleia das Centurias

 

Esta instituição possuía funções relacionadas a votação de leis e declarações de guerra e restabelecimento de paz.

 

Busto de Pompeu, cônsul na República Romana

Busto de Pompeu; importante cônsul na República Romana entre 52 a.C. e 51 a.C.

 

 

 

 

 



Última revisão: 06/10/2019

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).