Aumento do território brasileiro no período colonial

Como foi, resumo, ação dos bandeirantes, história da formação territorial brasileira

Raposo Tavares: bandeirante com grande participação no aumento territorial brasileiro
Raposo Tavares: bandeirante com grande participação no aumento territorial brasileiro


O aumento do território brasileiro no período colonial (resumo)

 

Introdução

 

Portugal não respeitou a linha imaginária traçada pelo Tratado de Tordesilhas (1494), que dividiu as terras da América entre espanhóis e portugueses. No século XVII, os bandeirantes paulistas começaram a penetrar no interior do território brasileiro em busca de índios (num primeiro momento) e pedras e metais preciosos (principalmente o ouro).

 

O bandeirantismo e a expansão territorial

 

Vale dizer que no período da União Ibérica (1580-1640), quando a Espanha não se importou com a divisão territorial entre ela e Portugal, foi o período que teve início esse processo de interiorização do Brasil, promovido pela ação dos bandeirantes.

 

Conforme iam circulando pelo interior, os bandeirantes criavam condições favoráveis para o surgimento de povoados, que se transformavam, com o tempo, em vilas e cidades.

 

Um dos bandeirantes que mais ajudou na ampliação do território brasileiro, em função do caminho percorrido, foi Antônio Raposo Tavares. Ele partiu de São Paulo e fez a seguinte rota: Paraná, Mato Grosso do Sul, fronteira do Brasil com o Paraguai e Bolívia e, logo em seguida, penetrou na Amazônia (margeou os rios Madeira e Amazonas até atingir a foz do rio no Oceano Atlântico).

 

Os jesuítas

 

Outro fator que ajudou na expansão do território brasileiro foi a atuação das missões religiosas, também conhecidas como reduções jesuíticas. Para catequizar os indígenas, os padres jesuítas fundaram aldeamentos, principalmente na região amazônica e no sul do país. Muitas reduções se transformaram em cidades, ajudando assim na expansão e consolidação do território brasileiro.

 

 

Publicado em 24/08/2019
_____________________________

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).