Governo Epitácio Pessoa

Ele foi o foi o 11º presidente do Brasil. Leia o texto para saber como foi seu governo.

Epitácio Pessoa: o 11º presidente da República do Brasil
Epitácio Pessoa: o 11º presidente da República do Brasil

 

Quem foi Epitácio Pessoa

 

Epitácio Lindolfo da Silva Pessoa (nome completo) foi o 11º presidente do Brasil. Seu mandato ocorreu entre os anos de 1919 e 1922. Foi também diplomata, professor universitário, jurista, magistrado, procurador-geral da República, deputado federal (por dois mandatos), senador da República (dois mandatos), ministro da Indústria e ministro da Justiça.

 

Epitácio Pessoa nasceu na cidade de Umbuzeiro (Paraíba) em 23 de maio de 1865). Faleceu em Petrópolis (Rio de Janeiro), aos 76 anos de idade, em 13 de fevereiro de 1942.

 

Principais características, fatos e realizações de seu governo:

 

- Foi eleito presidente da República pelo PRM (Partido Republicano Mineiro), na eleição de 1919, após vencer o candidato Rui Barbosa. Embora fosse paraibano, Epitácio Pessoa era ligado e apoiado pela elite agrária de Minas Gerais. Sua eleição também foi bem recebida pela elite cafeeira do estado de São Paulo. Vale lembrar que este período é marcado pela Política do Café com Leite, ou seja, a alternância no poder federal de políticos paulistas e mineiros.

 

- Epitácio Pessoa também tomou medidas visando o enfrentamento da seca no sertão nordestino. Durante seu governo foram construídos açudes e poços na região.

 

- Revogou o banimento da família real. Até então, os membros da família real brasileira, que foram expulsos do Brasil após a Proclamação da República, não podiam voltar ao Brasil.

 

- Durante seu governo, em setembro de 1922, ocorreram as comemorações dos 100 anos da Independência do Brasil (1822).

 

- No final do seu governo ocorreu um dos principais movimentos tenentistas: A Revolta dos 18 do Forte de Copacabana (5 de julho de 1922). Contrários à Política do Café com Leite e à manutenção das oligarquias no poder, os militares integrantes da revolta queriam derrubar Epitácio Pessoa do Poder e impedir a posse de Artur Bernardes (eleito nas eleições de 1922), que nada mais era do que o continuísmo da República das Oligarquias. Os 18 tenentistas foram para as ruas de Copacabana, fizeram seu protesto, mas foram fuzilados por militares defensores do governo federal. Morreram 16 dos 18 integrantes do movimento.

 

- Já no planto cultural, foi no final do seu governo que ocorreu, no Teatro Municipal da cidade de São Paulo, a Semana de Arte Moderna de 1922. Foi um dos principais momentos da cultura brasileira no século XX e um dos marcos mais importantes do movimento Modernista no Brasil.

 

- Vale lembrar também que no ano de 1922 ocorreu a fundação do Partido Comunista do Brasil (PCB), sob a influência da Revolução Russa de 1917 e a difusão dos ideais comunistas pela América.


Revolta dos 18 do Forte de Copacabana

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Revolta dos 18 do Forte de Copacabana (1922): movimento tenentista contrário ao governo de Epitácio Pessoa e a posse de Artur Bernardes.

 

 



Artigo publicado em 09/07/2020
___________________________________

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).