Imigração Espanhola no Brasil

História resumida, como ocorreu, destinos dos imigrantes espanhóis, causas principais, números de imigrantres.

Navio espanhol partindo para o Brasil (fonte: Museu da Imigração).
Navio espanhol partindo para o Brasil (fonte: Museu da Imigração).

 

Principais causas

 

Os fatores que condicionaram a emigração em massa dos espanhóis estão relacionados à superpopulação, às crises agrícolas e às alterações observadas no regime de produção, responsáveis pela desorganização na economia e no setor social, implicando assim um elevado número de desempregados e desocupados nas cidades e no campo. O Brasil, por sua vez, só começou a ser um destino importante para essa população na década de 1880, tendo recebido o terceiro maior número de imigrantes daquele país, depois da Argentina e de Cuba.

 

Números, dados e período


Estima-se que desde a independência do Brasil (1822) cerca de 750.000 espanhóis entraram no Brasil. Este número representa entre 12,5% e 14% de todos os estrangeiros que entram no Brasil desde sua independência e coloca os espanhóis no terceiro lugar entre as nacionalidades imigrantes no Brasil, embora, possivelmente, essa estatística inclua portugueses emigrando com falsos passaportes espanhóis ou galegos. Os imigrantes espanhóis estavam entre aqueles que tinham uma taxa mais alta de residência permanente no Brasil, sendo superados apenas pelos japoneses. Isto se deve ao grande número de famílias que viajou com passagem paga pelo governo brasileiro para trabalhar em plantações de café do estado de São Paulo. A maioria dos imigrantes espanhóis ingressou no Brasil entre 1880 e 1930, com o período de pico entre 1905 e 1919, quando suas entradas anuais superaram as dos italianos.



Destinos principais


No estado de São Paulo, destino da maioria dos imigrantes espanhóis (cerca de 75% do total), 60% eram da Andaluzia e tiveram suas viagens pagas pelo governo brasileiro, tendo sido levados para as fazendas de café para substituir a mão de obra escrava africana.


Depois de São Paulo, o segundo maior contingente foi para o Rio de Janeiro, enquanto outros estados como Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso, Pará e Bahia receberam grupos menores. Em todos esses estados, a grande maioria, cerca de 80%, era imigrante da Galícia e predominantemente do sexo masculino


O perfil dos imigrantes espanhóis durante o período de 1908-1926 mostra que 82,7% imigraram em família, 81,4% eram agricultores, apenas 2,2% eram artesãos ou trabalhadores qualificados e 16,3% estavam na categoria "outros". Esses dados refletem que a imigração espanhola não era muito diversificada, qualificada e tinha pouca mobilidade, pois era subsidiada pelo governo brasileiro, portanto, os imigrantes não tinham liberdade para decidir onde trabalhar.



Fontes:


https://pt.wikipedia.org/wiki/
Imigra%C3%A7%C3%A3o_espanhola_no_Brasil


https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/
download/18605/20668


http://eial.tau.ac.il/index.php/eial/article/view/1260/1287