Tráfico Negreiro no Brasil

O que foi e as principais características do tráfico de escravos africanos no Brasil Colônia e no Império

Comércio de escravos no Brasil Colonial (pintura de Debret)
Comércio de escravos no Brasil Colonial (pintura de Debret)

 

O que foi o Tráfico Negreiro?

 

O tráfico negreiro foi o comércio de escravos, que era praticado no Brasil Colonial. Ele tinha como origem a costa africana e o destino dos escravos era, principalmente, os engenhos de açúcar no Nordeste Brasileiro.

 

Características principais:

 

- Era praticado por comerciantes portugueses.

 

- As principais regiões fornecedoras de escravos eram feitorias portuguesas na Guiné e em Angola.

 

- A principal forma de obtenção de escravos na costa africana era a seguinte: os comerciantes portugueses ofereciam, aos chefes de tribos africanas, objetos de pouco valor (espelhos, roupas, escovas, fumo e cachaça) em troca de africanos. Esses africanos eram capturados nas guerras tribais e eram oferecidos pelos chefes em troca dos produtos mencionados. Essa relação de troca é conhecida como escambo.

 

- Porém, existiam comerciantes de escravos que capturavam “no laço” (a força), os africanos para leva-los ao Brasil e serem comercializados.

 

- O tráfico de escravos era muito lucrativo e até estimulado pela coroa portuguesa, pois resolvia o problema da falta de mão de obra em sua colônia.

 

- Os escravos eram transportados para o Brasil nos porões dos navios negreiros, apelidados de tumbeiros. Pelo nome, já dá para deduzir que era um transporte de péssima qualidade, o que provocava a morte de muitos africanos no caminho entre a África e o Brasil.

 

Fim do tráfico de escravos

 

- O tráfico de escravos só foi proibido no Brasil em 1850, através da promulgação da Lei Eusébio de Queirós. A partir dessa lei, quem fosse pego trazendo africanos para o Brasil, para serem vendidos como escravos, estaria cometendo crime. Porém, essa lei não acabou com a escravidão no Brasil, fato que só ocorreu em 1888, através da Lei Áurea. Entre 1850 e 1888, intensificou-se o comércio interno de escravos, fazendo com que o preço dessa mão de obra aumentasse muito no Brasil.


Imagem do porão de um navio negreiro no Brasil Colonial

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Porão de um navio negreiro no Brasil Colonial (pintura de Johann Moritz Rugendas)

 

 

Última revisão: 23/11/2019
___________________________________

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).