Arcadismo em Portugal e suas características

O Arcadismo foi uma escola literária de Portugal. Saiba mais lendo este texto.

Vida no campo: um dos ideais dos escritores do Arcadismo português
Vida no campo: um dos ideais dos escritores do Arcadismo português

 

O que foi e origem

 

O Arcadismo, também conhecido como Neoclassicismo ou Setecentismo, foi uma escola literária, que surgiu e se desenvolveu no século XVIII, na Europa.

 

Em Portugal, ele teve como marco inicial o lançamento, em Lisboa, da Arcádia Lusitana (1756). Esta foi uma espécie de academia, que reuniu vários escritores portugueses, empenhados em criar um novo estilo em oposição à literatura barroca (escola literária anterior ao Arcadismo).

 

Contexto histórico do Arcadismo em Portugal:

 

No século XVIII, a Europa estava passando pelo período do Iluminismo, também conhecido como o “Século das Luzes”. Este século também foi marcado por um significativo desenvolvimento industrial (Revolução Industrial) e tecnológico.

 

Neste contexto, a Europa (incluindo Portugal) viveu um período de valorização do pensamento racional e científico, deixando em segundo plano as ideias e explicações religiosas.


Principais características:

 

- Ausência e contraposição ao rebuscamento e ao detalhismo do Barroco. Portanto, os escritores árcades utilizaram uma linguagem simples.

 

- Ênfase no racional e na objetividade, descartando tudo que era considerado inútil e supérfluo.

 

- Teve na poesia sua maior força de expressão literária.

 

- Valorização da vida rural e da natureza em oposição à vida urbana. Logo, o ambiente bucólico (relativo a vida no campo) e em harmonia com a natureza (como os pastores de ovelhas) são os ideais de vida valorizados pelos poetas do Arcadismo.

 

- Oposição e desvalorização ao estilo de vida dos burgueses nas cidades (centros urbanos).

 

- Retorno ao valores greco-romanos (cultura clássica).

 

- Os escritores árcades destacaram quatro principais conceitos, relacionados ao estilo de vida ideal. Esses conceitos foram divulgados em latim (língua da Roma Antiga). São eles: Fugere urbem (fugir da cidade); Aurea Mediocritas (equilíbrio de ouro); Carpe Diem (aproveite o dia, o momento) e Locus amoenus (lugar ameno).

 

Principais autores do arcadismo português:

 

- Manuel Maria Barbosa du Bocage (1765-1805)

- Manuel Nicolau Esteves Negrão (1750-1824)

- Cruz e Silva (1731-1799)

- Teotônio Gomes de Carvalho

- Leonor de Almeida Portugal, Marquesa de Alorna (1750-1839)

- Pedro Antônio Correia Garção (1724-1772)

- Francisco José Freire (1719-1773)

- Nicolau Tolentino de Almeida (1740-1811)

- Domingos dos Reis Quita (1728-1770)


Bocage, principal escritor do Arcadismo de Portugal

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bocage: um dos principais representantes do Arcadismo em Portugal.

 



Exemplos de obras:

 

- A Morte de D. Ignez (Bocage)

- A Virtude Laureada (Bocage)

- Elegia (Bocage)

- O Hissope (Cruz e Silva)

- Arte Poética de Quinto Horácio Flacco (Francisco José Freire)

- Amantes (Nicolau Tolentino de Almeida)

- Inês de Castro (Domingos dos Reis Quita)

 

Curiosidade:

 

- A maioria dos poetas árcades portugueses utilizou pseudônimos para assinar suas obras. Teotônio Gomes de Carvalho usava o pseudônimo de "Tirse Menteo"; Manuel Nicolau Esteves Negrão era o "Elmano Sincero" e Cruz e Silva tinha o apelido artístico de "Elpino Nonacriense".

 

 

Artigo publicado em 26/06/2020
___________________________________

Por Elaine Barbosa de Souza
Graduada em Letras (Português e Inglês) pela FMU (2002).