Parnasianismo

O Parnasianismo foi uma escola poética que buscou a perfeição da forma.

A Tríade Parnasiana: Olavo Bilac, Raimundo Correia e Alberto de Oliveira
A Tríade Parnasiana: Olavo Bilac, Raimundo Correia e Alberto de Oliveira

 

Introdução (o que foi) e significado do nome

 

O Parnasianismo foi um movimento literário, que surgiu na França, na metade do século XIX. Desenvolveu-se na literatura europeia e, posteriormente, chegou ao Brasil. Esta escola literária foi uma oposição ao romantismo, pois representou a valorização da ciência e do positivismo. 

 

O nome parnasianismo surgiu na França e deriva do termo "Parnaso", que na mitologia grega era o monte do deus Apolo e das musas da poesia. Na França, os poetas parnasianos que mais se destacaram foram: Théophile Gautier, Leconte de Lisle, Théodore de Banville e José Maria de Heredia.


As características mais importantes do parnasianismo foram:

 

- Objetividade no tratamento dos temas abordados. O escritor parnasiano tratava os temas se baseando na realidade, deixando de lado o subjetivismo e a emoção.

 

- Impessoalidade: a visão do escritor não interferia na abordagem dos fatos.

 

- Valorização da estética e busca da perfeição. A poesia era valorizada por sua beleza em si e, portanto, deveria ser perfeita do ponto de vista estético.

 

- O poeta evitava a utilização de palavras da mesma classe gramatical em suas poesias, buscando tornar as rimas esteticamente ricas.

 

- Uso de linguagem rebuscada e vocabulário culto.

 

- Temas da mitologia grega e da cultura clássica eram muito frequentes nas poesias parnasianas. Também foram trabalhados temas ligados à realidade e a fatos históricos.

 

- Preferência pelos sonetos.

 

- Valorização da metrificação: o mesmo número de sílabas poéticas era usado em cada verso.

 

- Uso e valorização da descrição das cenas e objetos.

 

- As poesias parnasianas são detalhadas e descritivas.



Parnasianismo no Brasil

 

No Brasil, o Parnasianismo chegou na segunda metade do século XIX, e teve força até o movimento modernista (Semana de Arte Moderna de 1922). O marco inicial do Parnasianismo brasileiro foi a publicação da obra Fanfarras, escrita por Teófilo Dias, em 1882.

 

Os principais representantes do parnasianismo brasileiro foram:

 

- Teófilo Dias - sua principal obra foi Fanfarras (1882).

 

- Alberto de Oliveira. Obras principais: Meridionais (1884), Versos e Rimas (1895), Poesias (1900), Céu, Terra e Mar (1914) e O Culto da Forma na Poesia Brasileira (1916).

 

- Raimundo Correia. Obras principais: Primeiros Sonhos (1879), Sinfonias (1883), Versos e Versões (1887), Aleluias (1891) e Poesias (1898).

 

- Olavo Bilac. Obras principais: Poesias (1888), Crônicas e novelas (1894), Crítica e fantasia (1904), Conferências literárias (1906), Dicionário de rimas (1913), Tratado de versificação (1910), Ironia e piedade, crônicas (1916) e Tarde (1919).

 

- Francisca Júlia. Obras principais: Mármores (1895), Livro da Infância (1899), Esfinges (1903), Alma Infantil (1912).

 

- Vicente de Carvalho. Obras principais: Ardentias (1885), Relicário (1888), Rosa, rosa de amor (1902), Poemas e canções, (1908), Versos da mocidade (1909), Páginas soltas (1911) e A voz dos sinos (1916).

 

Retrato do escritor Teófilo Dias

Teófilo Dias: o precursor do Parnasianismo no Brasil.



Você sabia?

 

- Olavo Bilac, Alberto de Oliveira e Raimundo Correia formaram a chamada "Tríade Parnasiana".

 

Foto do poeta parnasiano Vicente de Carvalho

Vicente de Carvalho (1866-1924): poeta parnasiano santista.

 

 

 



Artigo publicado em 19/08/2005  e atualizado em 06/04/2022

Por Elaine Barbosa de Souza
Graduada em Letras (Português e Inglês) pela FMU (2002).