Rubens: vida e obra

Peter Paul Rubens foi um grande pintor barroco flamengo do século XVII.

Rubens: importante pintor barroco do século XVII
Rubens: importante pintor barroco do século XVII

 

Quem foi 



Peter Paul Rubens foi um importante pintor barroco flamengo do século XVII. É considerado por muitos historiadores da arte como um dos principais pintores do barroco europeu. Também atuou como diplomata nas negociações de paz entre Espanha e Inglaterra.


Rubens pintou entre os anos de 1598 e 1640. Uma de suas principais obras foi O rapto das filhas de Leucipo (1617).



Biografia resumida:


Rubens nasceu na cidade de Siegen (Alemanha) em 28 de junho de 1577.

No início da carreira de artista foi morar por oito anos na Itália, onde recebeu importante influência artística.

Em 1608, Rubens retornou à cidade de Antuérpia e foi nomeado pintor da corte dos Arquiduques dos Países Baixos.

Ao retornar para Antuérpia, onde viveu grande parte de sua vida, recebeu várias encomendas de reis e nobres da época.

Em 1603 foi para a Espanha em missão diplomática.

Em 1609 foi escolhido como pintor da corte do arquiduque da Áustria, Alberto VII.

Entre setembro de 1628 e abril de 1629, fez sua segunda visita à Espanha. A viagem tinha como objetivo informar Felipe IV sobre a situação das negociações de um tratado de paz com a Inglaterra. Rubens foi um defensor da paz entre Espanha e Inglaterra no período.

Morou em Londres no começo do ano de 1630.

Rubens morreu de gota na cidade de Antuérpia (Bélgica) em 30 de maio de 1640.


O óleo sobre tela foi o principal meio de pintura utilizado pelo artista.




Estilo e principais características de suas obras:


Valorizou a plasticidade da forma.

Pintou mulheres voluptuosas e corpulentas.

Pintura de paisagens com valorizações das cores e movimentos.

Retratou cenas mitológicas.

Pintou cenas dramáticas e paixão religiosa. Também fez pinturas de retratos de pessoas.

Composições dinâmicas: Rubens foi o maior expoente do dinamismo, vitalidade e exuberância da pintura barroca.

Utilizou, na maioria de suas pinturas, a técnica do óleo sobre tela de madeira.

Seu estilo barroco único enfatizava o movimento e a cor.

 

Autorretrato do pintor Rubens

Autorretrato (1623)

 

 

Principais obras (pinturas):


- A adoração dos reis magos (1609)


- Autorretrato com sua esposa Isabel Brant (1609-1610)

- Prometeu acorrentado (1611 - 1618)

- A descida da cruz (1617)

- Vênus frígida (1614)

- Os silenos bêbados (1617)

- O sentido da visão (em parceria com Pieter Brueghel em 1617)


- O desembarque de Maria de Médicis no porto de Marselha
(1623-1625)

- Miguel expulsando Lúcifer (1622)

- A adoração dos reis magos (1624)

- Retrato de Suzanne Fourment (1625)

- A assunção da Virgem Maria (1625)

- Alegoria sobre as bênçãos da paz (1630)


- O jardim do amor (1633)

- O casaco de peles (1638)

 

O jardim do amor, pintura de Rubens

O jardim do amor (1633), pintura de Peter Paul Rubens.

 

 

Legado artístico

 

Peter Paul Rubens, muitas vezes descrito como o "príncipe dos pintores", deixou uma marca destacada no mundo da arte. Sua influência se estende muito além de sua vida, impactando grandes artistas que o seguiram, incluindo Picasso, Rembrandt, Van Dyck, Delacroix, Constable e Gainsborough.


O estilo Barroco único e imensamente popular de Rubens enfatizava o movimento, a cor e a sensualidade, e suas composições altamente carregadas referenciavam aspectos eruditos da história clássica e cristã. Sua ampla gama de assuntos variava de cenas religiosas e mitológicas a paisagens e retratos. Rubens não era apenas um pintor, mas também um prolífico designer de desenhos para as oficinas de tapeçaria flamengas e de frontispícios (início de um livro após a folha de rosto) para os editores em Antuérpia. Seu legado é um testemunho de sua versatilidade e maestria, que continua a inspirar artistas hoje.

 

Curiosidade:

 

Rubens foi casado por duas vezes. O primeiro casamento foi com Isabella Brant (1609–1626) e o segundo com Helena Fourment (1630–1640).

 

Pintura mostrando Jesus sendo retirado da Cruz

Descida da Cruz (1617): obra de Rubens.

 

 

Pintura mostrando o anjo miguel expulsando Lúcifer

Miguel expulsando Lúcifer (1622): pintura barroca de Rubens

 

 



Atualizado em 19/05/2024

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).