Capitães do Mato - quem eram e funções

Os capitães do mato eram funcionários livres do senhor de engenho.

Capitão do mato: principais funções era capturar e castigar escravos fugitivos
Capitão do mato: principais funções era capturar e castigar escravos fugitivos

 

Quem eram os capitães do mato nos engenhos coloniais?

 

Os capitães do mato eram trabalhadores livres que exerciam determinadas funções para os senhores de engenho. Alguns capitães do mato eram brancos, porém, também existiam negros africanos, que ganhavam a confiança dos fazendeiros e eram promovidos para essa função.

 

Função principal

 

A principal função dos capitães do mato era capturar os escravizados que fugiam das fazendas de açúcar (engenhos). Eles conheciam bem as matas e possuíam informações e conhecimentos que facilitavam a localizam dos fugitivos. Muitas vezes, os capitães do mato organizavam expedições para acabar com os quilombos e devolver os escravizados para os senhores de engenho (donos das fazendas produtoras de açúcar).

 

Trabalho e remuneração

 

Alguns capitães do mato não trabalhavam em específico para um senhor de engenho. Eles eram contratados para determinados serviços e recebiam por escravo capturado e entregue ao dono da fazenda. Esses trabalhavam de forma autônoma (sem vínculo com o senhor de engenho).

Pintura retratando um capitão do mato em seu cavalo

O caçador de recompensas procurando por escravizados fugitivos (1823): pintura de Rugendas

 

 

Legislação e regulamentação da atividade:

 

Na época colonial do Brasil, a atuação dos capitães do mato era regulamentada por normas específicas que refletiam o contexto escravocrata da sociedade da época. A legislação colonial estabelecia regras que definiam o papel e os limites de atuação desses capatazes.


Uma das principais leis que regulamentava a atividade dos capitães do mato era a Lei de 10 de junho de 1835, conhecida como "Lei dos Capitães do Mato". Essa lei estabelecia as condições sob as quais os capitães do mato poderiam atuar, determinando, por exemplo, que eles deveriam ser registrados e autorizados pelas autoridades locais, e que não poderiam exercer violência excessiva na captura dos escravizados fugitivos.


Além disso, a legislação colonial também estabelecia as punições para os escravizados fugitivos e para aqueles que os ajudassem. Os escravizados capturados pelos capitães do mato poderiam ser punidos com castigos físicos e até mesmo com a morte, enquanto aqueles que auxiliassem os escravizados fugitivos poderiam ser igualmente punidos.

 



Última atualização: 12/05/2024

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).