Guerra dos Trinta Anos

A Guerra dos Trinta Anos foi um conjunto de guerras que aconteceu na Europa na primeira metade do século XVII.

Batalha de Lens no final da Guerra dos Trinta Anos.
Batalha de Lens no final da Guerra dos Trinta Anos.


O que foi a Guerra dos Trinta Anos


 
A Guerra dos Trinta Anos foi uma série de guerras travadas por várias nações europeias entre 1618 e 1648.

 

Quais foram as principais causas?

 

As principais causas dessa guerra foram: rivalidades religiosas, dinásticas, territoriais e comerciais, entre


A Guerra dos Trinta Anos começou como uma batalha entre os estados católicos e protestantes que formavam o Sacro Império Romano. Com a ascensão do imperador Ferdinando II ao trono do Sacro Império Romano em 1619, uma de suas primeiras ações foi obrigar os cidadãos do império a aderir ao catolicismo romano, embora a liberdade religiosa tivesse sido concedida como parte da Paz de Augsburgo em 1555. Em resposta essa decisão, os estados do norte da Boêmia, principalmente protestantes, revoltaram-se.


 
Desenvolvimento: como foi a guerra e consequências


Ao longo dos anos, vários países acabaram se envolvendo na guerra, tais como a Polônia, a França, a Espanha, Portugal, Áustria entre outros e, aos poucos, tornou-se menos sobre a religião e mais sobre qual grupo governaria a Europa. Foi uma das guerras mais longas e mais brutais da história da humanidade, com mais de oito milhões de mortes resultantes de batalhas, bem como da fome e das doenças causadas pelo conflito. Quando terminou, pela instituição do Tratado ou Paz de Westfália, em 1648, o conflito mudou a face geopolítica da Europa e o papel da religião e dos estados-nação na sociedade.

 

Batalha de Lutzen, 1632, dutante a Guerra dos Trinta Anos

Batalha de Lutzen, 1632, dutante a Guerra dos Trinta Anos.

 

 

 

TEXTO COMPLEMENTAR: A PAZ DE WESTFÁLIA


O que foi

 

A Paz de Westfália foi um conjunto de tratados, que estabeleceu o fim da Guerra dos Trinta Anos (1618-1648). A Paz de Westfália foi assinada em 24 de outubro de 1648, entre o imperador do Sacro Império Romano-Germânico Fernando III, a Monarquia da Espanha e os príncipes da Alemanha, Suécia e França.

 

Vale ressaltar que esse tratado foi significativamente desfavorável para a Alemanha.

 

O que foi definido na Paz de Westfália:

 

- A Monarquia Espanhola reconheceu a independência da Holanda.

 

- A Confederação Suíça obteve sua independência.

 

- Ficou assegurado às nações vencedoras, da Guerra dos Trinta Anos, o direito de intervir na Alemanha em toda e qualquer situação que os alemães tentassem quebrar o equilíbrio.

 

- A Suécia e a região da Alsácia foram anexadas ao Reino da França.

 

- Ficou garantida a supremacia da Dieta (espécie de parlamento na Alemanha) sobre o imperador alemão.

 

Ratificação da Paz de Westfália
Ratificação da Paz de Westfália (1648)

 

 



Última atualização: 11/12/2020

Revisado por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).