Sapo-cururu

O Sapo-cururu é uma espécie de anfíbio nativo da América do Sul e Central.

Sapo-cururu: muito comum em pântanos e lagos brasileiros
Sapo-cururu: muito comum em pântanos e lagos brasileiros


Principais dados e características do sapo-cururu:


 

Nome científico

 

Rhinella ictérica (nome antigo: bufo ictericus).

 

Outros nomes populares no Brasil:

 

Sapo-boi e cururu.

 

Habitat

 

Este sapo de grande porte habita áreas pantanosas e lagos no Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai.

 

Alimentação

 

O sapo-cururu alimenta-se, principalmente, de grilos, mariposas, formigas, moscas, mariposas, camundongos, caracóis e minhocas.

 

Reprodução

 

Possui fecundação externa. A fêmea libera os óvulos, na água, que são fecundados pelos espermatozoides do macho. A reprodução acontece nas estações da primavera e verão.

 

Foto de um sapo-cururu

Sapo-cururu: anfíbio de grande porte que vive na beira de lagos e rios.



Classificação científica:

 

Reino: Animalia

Filo: Chordata

Classe: Amphibia

Ordem: Anura

Família: Bufonidae

Gênero: Rhinella

Espécie: R. ictérica


Curiosidades:

 

- Assim como várias espécies de sapos, este possui uma espécie de veneno armazenado em bolsas ao lado dos seus olhos. Ao entrar em contato com esta substância, o ser humano pode ter irritação na pele, sendo de grande intensidade caso atinja os olhos. O predador que ingerir o veneno, que é muito tóxico, poderá ter sérias complicações de saúde e até morrer. (fonte: website da Fiocruz).

 

- A palavra cururu tem origem na palavra indígena tupi kuru'ru (variedade de sapo) - Referência: Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa.

 

- A pele do sapo-cururu é grossa e rugosa, de cor marrom ou verde-oliva, com presença de manchas negras.



Temas relacionados