DIP

O que foi, criação, objetivos, significado, contexto histórico, funções principais, censura

Vargas na comemoração do dia do Trabalho em 1944
Vargas na comemoração do dia do Trabalho em 1944

 

O que foi

 

O DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda) foi um órgão federal, criado pelo governo Getúlio Vargas, em dezembro de 1939. Seu objetivo principal era fortalecer o poder do Estado.

 

Contexto histórico

 

O DIP foi criado no período conhecido como Estado Novo (1937-1945), caracterizado pelo governo autoritário e ditatorial de Vargas, pelo populismo e pelo nacionalismo. Portanto, esse departamento surgiu da intenção do presidente em controlar e censurar a imprensa brasileira, assim como outras atividades que envolvessem divulgação de ideias e informações.

 

Vale lembra que nesse período, a Europa mergulhou na experiência do fascismo. Governos fascistas na Itália e na Alemanha também utilizaram sistemas de censura e controle para barrar oposições, influenciar ideologicamente a população e promover as figuras dos líderes. O governo Vargas, no Estado Novo, guardada as devidas proporções, trilhou esse mesmo caminho nas áreas da propaganda e censura.

 

Principais funções e objetivos do DIP

 

- Censurar jornais, revistas, livros, filmes de cinema, programas de rádio, peças de teatro e músicas. O DIP só autorizava notícias e divulgação de ideias que fossem favoráveis ao governo. Qualquer crítica ou manifestação de oposição ao governo era censurada. Dessa forma, Vargas conseguia abafar as contestações e oposições políticas e culturais ao seu governo.

 

- Fazer propaganda positiva do governo Vargas, divulgando ações que enalteciam a figura do presidente e a ideologia política do Estado Novo. Nesse sentido, o DIP criou propagandas, cartazes e divulgou notícias e informações nas rádios, sempre com a intensão de valorizar e engrandecer as políticas de Vargas. O DIP também organizava diversas comemorações cívicas (a principal era a do Dia do Trabalho em 1 de maio), para promover o governo e o nacionalismo (uma das principais características do governo Vargas) e aproximar o presidente das camadas populares da sociedade.

 

- Atrair artistas, músicos e movimentos culturais para atuar ao lado da propaganda e da ideologia do governo. Muitos músicos, por exemplo, passavam a fazer músicas enaltecendo o governo, a imagem do brasileiro trabalhador e os ideais do nacionalismo. Houve casos em que músicos mudaram a letra da música para não só fugir da censura como também para agradar ao DIP e ao governo.


Cartaz divulgado pelo DIP para fazer propaganda de Getúlio Vargas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cartaz divulgado pelo DIP, em 1944, para fazer propaganda de Getúlio Vargas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Artigo publicado em: 25/10/2019
___________________________________

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).