Movimento Antropofágico

O que foi, resumo, características principais, relação com a Semana de 22, Revista Antropofágica, bibliografia

Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral: principais representantes do Movimento Antropofágico
Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral: principais representantes do Movimento Antropofágico

 

O que foi (definição e origem)

 

O Movimento Antropofágico foi um movimento artístico e cultural, que surgiu no Brasil no começo da década de 1920. Ele se desenvolveu, principalmente, nos campos das Artes Plásticas e da Literatura. Foi um movimento de vanguarda e esteve ligado ao contexto da Semana de Arte Moderna de 1922.

 

Foi dado esse nome ao movimento (antropofagia = canibalismo), pois seus integrantes (escritores e artistas plásticos) defendiam a ideia de que a cultura europeia (dominante e com grande influência no Brasil daquela época) deveria ser “devorada e digerida” no Brasil, antes de ser transformada em expressão artística nacional e original.

 

Os criadores desse movimento foram a pintora Tarsila do Amaral e o escritor e poeta Oswald de Andrade.

 

Revista de Antropofagia

 

Entre maio de 1928 e fevereiro de 1929, foi produzida e publicada a Revista de Antropofagia, dirigida pelo escritor Alcântara Machado e pelo poeta Raul Bopp.

 

Embora tenha durado pouco tempo, ela foi um dos principais meios de divulgação do pensamento modernista brasileiro no final da década de 1920. Colaboraram para a revista diversos escritores do Modernismo: Plínio Salgado, Mário de Andrade, Jorge de Lima, Menotti del Picchia, Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Murilo Mendes e Pedro Nava.

 

Manifesto Antropofágico

 

Inspirado nas ideias de André Breton (escritor e poeta francês surrealista) foi um documento, de caráter literário, escrito por Oswald de Andrade em 1928. Esse manifesto apresenta os princípios básicos do movimento, “Contra todos os importadores de consciência enlatada”.


Principais características estéticas e culturais:

 

- Foi um movimento modernista e de vanguarda.

 

- Contrário a reprodução (imitação) da cultura estrangeira. Os integrantes do movimento defendiam uma arte genuínamente brasileira, embora não fossem contrários ao contato com a cultura estrangeira, desde que essa passasse por um processo de ressignificação.

 

- Características do primitivismo (valorização das culturas indígenas, africanas e de outras sociedades pré-industriais).

 

- O movimento recebeu influências dos pensamentos e ideias de Marx, Engels, Freud, Nietzsche e Rousseau.

 

Principais escritores do Movimento Antropofágico:

 

- Oswald de Andrade (1890-1954)

 

- Tarsila do Amaral (1886-1973)

 

- Menotti del Picchia (1892-1988)

 

- Mário de Andrade (1893-1945)

 

- Murilo Mendes (1901-1975)

 

- Raul Bopp (1898-1984)

 

Principais artistas plásticos do Movimento Antropofágico:

 

- Anita Malfatti (1889-1964) – pintora, desenhista e ilustradora ítalo-brasileira.

 

- Victor Brecheret (1894-1955) – escultor ítalo-brasileiro.

 

Curiosidades:

 

- Uma das obras de arte mais representativas do Movimento Antropofágico, no campo das artes plásticas, foi Abaporu (1928) de Tarsila do Amaral.

 

- Além do Movimento Antropofágico, outro movimento se destacou no contexto do Modernismo brasileiro. Foi o Movimento Verde-amarelismo. Porém, esse era extremamente nacionalista e com tendências nativistas.


Capa da Revista de Antropofagia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Capa da Revista de Antropofagia, principal veículo de comunicação do Movimento Antropofágico.

 

 

Artigo publicado em: 29/10/2019
___________________________________

Por Elaine Barbosa de Souza
Graduada em Letras (Português e Inglês) pela FMU (2002).