Jean-Honoré Fragonard

Fragonard foi um pintor do Rococó francês.

Jean-Honoré Fragonard: um dos principais representantes do Rococó francês
Jean-Honoré Fragonard: um dos principais representantes do Rococó francês

 

Quem foi

 

Jean-Honoré Nicolas Fragonard foi um desenhista, gravador e pintor francês da segunda metade do século XVIII.



Biografia resumida

 

Jean-Honoré Fragonard nasceu na cidade de Grasse (França) em 5 de abril de 1732.

Mudou-se para Paris com sua família quando era jovem e começou seu treinamento artístico sob a tutela do pintor de histórias François Boucher. Boucher reconheceu seu talento cedo e o recomendou para estudar com Jean-Baptiste-Siméon Chardin antes de ingressar na prestigiosa École Royale des Éléves Protégés.


Em 1752, Fragonard ganhou o prestigiado Prix de Rome com sua pintura "Jeroboão Sacrificando ao Bezerro de Ouro", o que lhe permitiu estudar na Academia Francesa em Roma. Seu tempo em Roma foi crucial para o desenvolvimento de seu estilo, fortemente influenciado pelas obras de Tiepolo e pelos remanescentes da arte barroca.


Após seu retorno a Paris em 1761, Fragonard rapidamente se tornou conhecido por seu estilo distintivo e exuberante, caracterizado por pinceladas fluidas e uma paleta de cores vibrantes.


Apesar de seu sucesso, a carreira de Fragonard enfrentou desafios durante a Revolução Francesa, pois os gostos mudaram e seus patronos aristocráticos foram derrubados ou fugiram do país. Seu estilo caiu em desuso em comparação aos ideais neoclássicos promovidos por artistas como Jacques-Louis David.


Fragonard retornou a Paris depois de passar algum tempo em Grasse durante os anos mais turbulentos da Revolução.

 

Faleceu em 22 de agosto de 1806, aos 74 anos, na cidade de Paris (França).

 

 

Movimento artístico que pertenceu:

 

Rococó e Romantismo.

 

 

Principal técnica de pintura:

 

Óleo sobre tela.

 

 

Principais características de suas obras:

 

As pinturas de Fragonard frequentemente exibem uma qualidade lúdica e caprichosa. Suas cenas geralmente apresentam figuras brincalhonas e interações flertativas, incorporando o espírito Rococó de prazer e entretenimento.


Muitas de suas obras incluem paisagens exuberantes e verdejantes. Esses cenários não são apenas fundos, mas parte integral do humor e composição, cheios de detalhes complexos e cores vibrantes.


Ele usava uma paleta brilhante e animada para realçar o clima lúdico e sensual de suas pinturas. Seu uso de cores é dinâmico e frequentemente destaca o conteúdo emocional da cena.


As figuras de sua pinturas são tipicamente elegantes e retratadas com uma sensação de movimento e fluidez. Suas poses são frequentemente graciosas e animadas, contribuindo para a atmosfera geralmente viva de suas obras.


Suas pinturas exibem uma requintada atenção aos detalhes, não apenas na representação de figuras humanas e seus trajes suntuosos, mas também nos detalhes texturais dos arredores, como folhagem, flores e drapeados (representação artística de tecidos arranjados em dobras soltas ou pregas).

 

 

Principais obras (pinturas) de Jean-Honoré Fragonard:

 

- A deusa Aurora triunfando sobre a noite (1755-56)

- Visita ao berçário (1755)

- Autorretrato (por volta de 1760)


- Os amantes felizes (1760-1765)

- O cocho (por volta de 1765)

- O balanço (1767)

- A inspiração (1769)

- A leitora (por volta de 1770)


- A jovem com uma marmota (1770-1790)

- A reunião (1773)

- A adoração dos pastores (1775)


- Um menino fantasiado de pierró (1780)


- A fonte do amor (1785)

- A fechadura (1780)

 

A Leitora, obra de Fragonard

A Leitora (1770), uma das principais obras de Jean-Honoré Fragonard.

 

 

Pintura mostrando um homem e uma mulher num jardim com uma estátua ao fundo

A reunião (1773)

 



Última atualização em 02/05/2024

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).