Floresta Amazônica

Conheça as principais características e os problemas que ameaçam esse rico e importante bioma brasileiro

Floresta Amazônica: rica biodiversidade
Floresta Amazônica: rica biodiversidade

 

Introdução


Situada na região norte da América do Sul, a floresta amazônica possui uma extensão de aproximadamente 7.000.000 km² espalhados pelos territórios do Brasil, Venezuela, Colômbia, Peru, Bolívia, Equador, Suriname, Guiana e Guiana Francesa.


A maior parte da Amazônia, aproximadamente 60%, está localizada em território brasileiro, ocupando os estados do Amazonas, Amapá, Rondônia, Acre, Pará e Roraima. A Floresta, que é a maior floresta úmida do mundo, abriga 20% de todas as espécies da fauna do planeta.


Principais características da Floresta Amazônica:


Formada por vegetação por fechada, possui árvores de grande porte, situando-se próximas umas das outras. Como a copa das árvores impede a entrada da maior parte da luz solar dentro da mata, a vegetação rasteira não consegue se desenvolver nas áreas onde a floresta é mais densa. Dessa forma, as espécies de vegetação rasteira estão presentes em pouca quantidade na floresta.


Como a maior parte do alimento disponível encontra-se no alto das árvores, como folhas e frutos, a maior parte da fauna amazônica está adaptada a viver na copa das árvores e é formada por animais de pequeno e médio porte, como macacos, cobras, marsupiais, tucanos, pica-paus, roedores, morcegos entre outros.


A região é cortada pelos inúmeros rios da bacia do Rio Amazonas, onde vivem 378 espécies diferentes de répteis, 3 mil espécies de peixes e 400 espécies de anfíbios. A floresta também serve de habitat para os grandes felinos americanos, a onça-pintada, a onça-parda e a jaguatirica.


O clima da Floresta Amazônica é quente e chuvoso. Num dia típico na floresta amazônica, podemos encontrar muito calor durante o dia com chuvas fortes no final da tarde, principalmente durante o inverno.


A dinâmica climática da região é diretamente influenciada pela presença da floresta, que é responsável pela formação da massa equatorial continental, uma massa de ar úmida formada graças à evapotranspiração da floresta. A umidade da massa equatorial continental influencia diretamente o regime de chuvas nas áreas centrais do Brasil, sendo importante para o equilíbrio de outros biomas, como o Cerrado.


Apesar das camadas mais profundas do solo não serem ricas em nutrientes, o horizonte O, que corresponde à camada superficial e orgânica do solo, é formado pela decomposição de folhas, frutos e animais mortos que formam um rico humus. Esse humus é responsável por fornecer os nutrientes necessários para as milhares de espécies de plantas e árvores que se desenvolvem nesta região.


Ao longo dos últimos 11 mil anos de sua formação, o ecossistema da floresta amazônica alcançou um perfeito equilíbrio, de forma que tudo o que a floresta produz é aproveitado de forma eficiente.


Problemas que ameaçam a Floresta Amazônica



Desmatamento


O principal problema que afeta a Floresta Amazônica é o desmatamento ilegal e predatório. Madeireiras instalam-se na região para cortar e vender troncos de árvores nobres. Há também fazendeiros que provocam queimadas na floresta para ampliação de áreas de cultivo de soja e para a criação de gado.

Esses dois problemas preocupam os povos da floresta, cientistas e ambientalistas do mundo todo, pois em pouco tempo o uso predatório do território ocupado pela floresta pode provocar desequilíbrios irreversíveis no ecossistema da região, colocando em risco os povos amazônicos, e inúmeras espécies de plantas e animais.

 

Foto de queimada na floresta amazômica

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

Queimada na Amazônia: um dos principais problemas ambientais enfrentados pela floresta amazônica.

 


Biopirataria


Outro problema enfrentando pelas populações tradicionais que habitam a região é a biopirataria. Cientistas estrangeiros entram na floresta sem autorização de autoridades brasileiras para obter amostras de plantas ou espécies animais e se apropriar de conhecimentos milenares da população local.


Esses cientistas levam as informações coletadas para seus países onde desenvolvem substâncias e produtos para serem comercializados e registram patentes das técnicas desenvolvidas, o que lhes garante o direito de exclusividade do uso deste conhecimento. Dessa forma, populações tradicionais da Floresta Amazônica e todo povo brasileiros são impedidos de utilizarem como bem entenderem as substâncias e conhecimentos originários do nosso território.


Mineração


Com a descoberta de ouro na região (principalmente no estado do Pará), muitos rios estão sendo contaminados. Os garimpeiros usam o mercúrio no garimpo, substância que está contaminando os rios e peixes da região. Os povos indígenas são os principais afetados. Além da violência que cresce com o interesse fazendeiros e grandes empresas de utilizarem os recursos naturais das reservas indígenas, a poluição afeta diretamente a saúde dos povos da região.


Amazônia: pulmão do mundo


Durante muito tempo, vários cientistas chamaram a Floresta Amazônica de o "pulmão do mundo". Porém, atualmente, este apelido tem sido deixado de lado, pois estudos mais recentes mostram que as florestas consomem quase todo o oxigênio que produzem.
Apesar disso, a Floresta Amazônica, assim como outras florestas úmidas, apresenta grande importância para a manutenção do equilíbrio ambiente, pois atuam na filtragem e regeneração do ar e na regulação do ciclo hidrológico.


Vista aérea de uma área da Floresta Amazônica

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vista aérea de uma área da Floresta Amazônica.

 

 

Última revisão: 18/02/2020

Por Jóyce Oliveira Leitão
Licenciada em Geografia (Universidade Estadual de Londrina - 2009), Bacharela em Geografia (USP - 2014) e Mestra em Geografia (Unicamp - 2017). Curriculo Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4259184T9