Teixeira e Sousa

Teixeira e Sousa foi um poeta e romancista brasileiro do século XIX.

Teixeira e Sousa: poeta e romancista do Romantismo no Brasil
Teixeira e Sousa: poeta e romancista do Romantismo no Brasil


Quem foi

 

Antonio Gonçalves Teixeira e Sousa foi um romancista, dramaturgo e poeta brasileiro do século XIX. É considerado um dos precursores do Romantismo na Literatura Brasileira. É considerado também, por alguns críticos literários, como o criador do gênero romance no Brasil.

 

Nasceu em 12 de março de 1812, na cidade de Cabo Frio (Rio de Janeiro). Faleceu em 1 de dezembro de 1861, aos 49 anos, na cidade do Rio de Janeiro.

 

Em função de sua condição social difícil, trabalhou também como carpinteiro, caixeiro, tipógrafo, escrivão do Foro, guarda da alfândega e revisor de provas.


Movimento literário que fez parte:

 

- Romantismo (Primeira Geração)



Principais características de seu estilo literário:

 

Escreveu composições dramáticas, no começo da carreira literária.

 

Obteve destaque e reconhecimento com seus romances.

 

Abordou, em seus romances, temas ligados à vida cotidiana, com destaque para as relações amorosas e sentimentos. A temática indígena também fez parte de algumas de suas obras. Portanto, Teixeira e Souza também é considerado um escritor indianista.

 

O autor usou o sentimentalismo como forma de expressar os sentimentos humanos, em particular o amor romântico.

 

Presença do nacionalismo (valorização do Brasil, sua história e cultura) em muitas de suas obras.

 

Retrato pintado de Teixeira e Sousa

Teixeira e Sousa


Principais obras de Teixeira e Sousa:

 

- Cornélia (1840) – tragédia

 

- Cânticos líricos (1841-1842) - poesias

 

- O filho do pescador (1843) - romance

 

- Os três dias de um noivado (1844) - poema

 

- Gonzaga ou A Conjuração de Tiradentes (1848–1851) - romance

 

- A providência (1854) – romance

 

- A Independência do Brasil (1847–1855) – poema

 

- O Cavaleiro Teutônico e a Freira de Marienburg (1855) – tragédia

 

- Maria ou A menina roubada (1859) - romance



Você sabia?

 

Muitos de seus romances foram publicados inicialmente em formato de folhetim em jornais do período.

 

 



Artigo publicado em 30/12/2019 e atualizado em 23/05/2024

Por Elaine Barbosa de Souza
Graduada em Letras (Português e Inglês) pela FMU (2002).