Queda da Bastilha

A Revolução Francesa teve como marco inicial a Queda da Bastilha.

Queda da Bastilha durante a Revolução Francesa
Queda da Bastilha durante a Revolução Francesa


O que era a Bastilha e sua história

A Bastilha era uma fortaleza (construção fortificada para proteger uma área) situada em Paris, capital da França. Começou a ser construída no ano de 1370, durante o reinado de Carlos V. Foi concluída, doze anos depois, em 1382.



No século XV, foi transformada pela monarquia francesa numa prisão de Estado, ou seja, um local onde eram presos aqueles que discordavam ou representavam uma ameaça ao poder absolutista dos reis. 



Tornou-se um símbolo do absolutismo francês, sendo que vários intelectuais e políticos foram presos em seus cárceres. Entre os prisioneiros mais famosos, podemos citar: Bassompierre, Foucquet, o homem da máscara de ferro, duque de O’rleans, Voltaire, Latude entre outros.



A Tomada da Bastilha na Revolução Francesa



Durante a Revolução Francesa (1789) foi atacada e tomada pelos revolucionários, em 14 de julho. Os presos políticos foram libertos. A Queda da Bastilha tornou-se um marco e símbolo da queda da monarquia francesa. Inclusive, o 14 de julho foi escolhido pelos franceses como feriado nacional e data de celebração da Revolução Francesa.

 

Pintura mostrando a Queda da Bastilha

 A Tomada da Bastilha (pintura de um artista anônimo)

 

 

Qual a importância da Queda da Bastilha para a Revolução Francesa?

 

O ataque à Bastilha em 14 de julho de 1789 possui um significado simbólico imenso na história da Revolução Francesa, marcando-o como um evento crucial. A Bastilha, uma fortaleza medieval e prisão em Paris, era percebida pela população como um símbolo do poder arbitrário e da tirania da monarquia Bourbon. Seu assalto e eventual queda representaram a revolta do povo comum contra o regime opressor e a desmontagem da autoridade real. Embora a prisão contivesse apenas alguns prisioneiros na época, sua captura foi um ato poderoso e simbólico, sinalizando o fim da monarquia absoluta e o nascimento do poder do povo. O evento galvanizou o fervor revolucionário por toda a França, levando à criação da Assembleia Nacional e à eventual formulação da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, estabelecendo os princípios fundamentais de uma nova ordem social e política.


Além disso, o ataque à Bastilha teve implicações práticas significativas. Ele levou à aquisição de armas e pólvora cruciais para os revolucionários, reforçando sua luta contra o regime. O evento também teve um impacto psicológico profundo, incutindo um senso de empoderamento e unidade entre o povo comum, que há muito era submetido à opressão feudal. Ele marcou o início da participação pública generalizada no movimento revolucionário, transcendendo as demandas políticas iniciais por uma monarquia constitucional e escalando para uma reforma radical da sociedade francesa. Internacionalmente, a queda da Bastilha foi um evento momentoso, sinalizando a seriedade da revolução para o mundo e inspirando movimentos revolucionários em outras nações.

 

 



Atualizado em 08/01/2024


Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).

Temas relacionados