Píndaro

Píndaro foi um poeta da Grécia Antiga.

Píndaro: importante poeta lírico da Grécia Antiga
Píndaro: importante poeta lírico da Grécia Antiga


Quem foi

 

Píndaro foi um importante poeta lírico da Grécia Antiga (Período Clássico, século V a.C.). Dos cerca de 17 livros que escreveu, apenas 4 chegaram até nós.

 

Foi contratado por várias cidades-estado gregas e patronos ricos para compor suas odes.

 

Píndaro nasceu na cidade de Cinoscéfalas (Tessália, Grécia) em 520 a.C. Faleceu em 440 a.C., na cidade Argos (Grécia).



Principais características de seu estilo literário:

 

Presença, em seus poemas, de uma linguagem elíptica e muito bem elaborada.

 

Perspectiva sobre a sociedade (expressa em suas poesias), através do olhar da classe social em que nasceu e viveu: a aristocracia grega.

 

Retratou temas da mitologia grega (deuses, heróis e mitos), além dos Jogos Olímpicos, enfatizando a vitória dos atletas e o heroico espírito olímpico. 

 

Ritmo poético leve, alegre e brilhante.

 

Seus versos líricos eram acompanhados de dança e música.

 

Presença, nas poesias, de estrutura métrica muito particular.

 

Acreditava que o poeta deveria ter a função de um educador na sociedade.



Principais obras poéticas:

 

- Odes píticas


- Odes olímpicas


- Odes nemeias


- Odes ístimicas




Exemplos de frases de Píndaro:

 

- "Em muitas situações, o silêncio é o que há de mais inteligente para uma pessoa ouvir."

 

- “Não busque a imortalidade na vida; mas esgote todas as possibilidades que estão ao seu alcance”.

 

- “O homem é o sonho de uma sombra”.

 

- "Como a água é o mais precioso de todos os elementos, como o ouro é mais valioso do que qualquer outra mercadoria, como o sol brilha mais forte do que qualquer outra estrela, a Olímpia também brilha, ofuscando todos os outros jogos". (versos memoráveis sobre os Jogos Olímpicos da cidade de Olímpia).

 

Busto de Píndaro

Píndaro: um dos grandes nomes da literatura grega antiga.

 

 

Você sabia?

 

Píndaro foi honrado postumamente, com sua casa em Tebas supostamente poupada por Alexandre, o Grande.

 

 


 

Última atualização: 03/06/2024


Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).