Contracultura

Contracultura foi um movimento de contestação cultural típico das décadas de 1960 e 1970.

Janis Joplin: contracultura na música  (final da década de 1960)
Janis Joplin: contracultura na música (final da década de 1960)

 

Definição e origem

 

Surgida nos Estados Unidos na década de 1960, a contracultura pode ser entendida como um movimento de contestação de caráter social e cultural. Nasceu e ganhou força, principalmente entre os jovens desta década, seguindo pelas décadas posteriores até os dias atuais. 

 


De modo geral, podemos citar como características principais deste movimento, nas décadas de 1960 e 1970: 



• Valorização da natureza; 


• Vida comunitária;


• Luta pela paz (contra as guerras, conflitos e qualquer tipo de repressão);


• Vegetarianismo: busca de uma alimentação natural;


• Respeito às minorias raciais e culturais;


• Experiência com drogas psicodélicas,


• Liberdade nos relacionamentos sexuais e amorosos;


• Anticonsumismo;


• Aproximação das práticas religiosas orientais, principalmente do budismo;


• Crítica aos meios de comunicação de massa como, por exemplo, a televisão;

• Comportamentos e ações libertárias (contra os padrões sociais tradicionais);


• Discordância com os princípios do capitalismo e economia de mercado.

 

Desenho de coração, pombas e símbolo hippie coloridos

Mensagens de paz, amor e desenhos coloridos também estiveram relacionados ao movimento de contracultura.

 

 

Precursores da contracultura: os beatniks



Os precursores da revolução contracultural foram os chamados beatniks, cuja característica mais importante foi o inconformismo com a realidade do começo da década de 1960. Os líderes do movimento beatnik, que serviu de base para o movimento hippie, foram Jack Kerouac, Allen Ginsberg e William Burroughs. 



Na segunda metade dos anos 60, Ken Kesey, Alan Watts, Timothy Leary e Norman Brown criaram a teoria e práxis contracultural, ganhando destaque e transformando-se nas lideranças do movimento. 



Contracultura e música



Com relação ao mundo musical, podemos citar a cantora Janis Joplin como o símbolo deste movimento na década de 1960. As letras de suas canções e seu estilo fugiam do convencional, criticando, muitas vezes, o padrão musical estabelecido pela cultura de massa. Os músicos Jim Morrison e Jimi Rendrix também se encaixam neste contexto cultural.

 

Na atualidade



Atualmente a contracultura ainda vive, porém, está preservada em pequenos grupos sociais e artísticos que contestam alguns parâmetros estabelecidos pelo mercado cultural, governos e movimentos tradicionalistas.

Hippies sobre um ônibus colorido

Movimento Hippie: um dos símbolos da contracultura dos anos 1960.


 



Revisado e atualizado em 24/03/2022


Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).