Bioma Pampa

Características do bioma Pampa, vegetação dos campos sulinos, tipos de vegetação, regiões, árvores típicas

Típica paisagem do bioma Pampa
Típica paisagem do bioma Pampa

 

O que é

 

O Pampa é o bioma presente no sudeste da América do Sul. No Brasil, é encontrado na porção sul do Estado do Rio Grande do Sul.  Até 2004, a vegetação dos pampas era classificada como Campos Sulinos e considerados como parte do Bioma da Mata Atlântica. Somente a partir de 2004 o Pampa passou a ser reconhecido como um Bioma, ou seja, como uma unidade biológica que engloba não apenas a vegetação características dessa região, como também a fauna e as suas características climáticas.


Principais características da vegetação do Pampa


A vegetação predominante no Pampa são os campos. Localizados em terrenos aplainados ou em colinas suaves, essa vegetação é formada por gramíneas, arbustos e árvores de pequeno porte.


Além dos campos, o Pampa também abriga uma vegetação um pouco mais densa, com presença de arvores mais altas e pinheiros como a Araucária (Araucaria angustifólia). Esse tipo de vegetação localiza-se em locais com maior concentração de umidade, como nas áreas de encostas e próximo aos cursos d’agua.


Foto de araucárias no bioma Pampa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Araucária: árvore típica do Bioma Pampa.

 

 


Economia nos pampas


Desde a sua ocupação por europeus, no século XVIII, as pastagens naturais encontradas nos Pampas passaram a ser utilizadas para a criação de gado. Atualmente, além do gado, a região se destaca na criação de ovinos, suínos e aves.

 

Com solo fértil — principalmente nas áreas planas, onde é possível encontrar latossolos roxo (terra roxa) — os pampas também são utilizados para o plantio de produtos agrícolas. Atualmente, a produção de cereais para a exportação é uma das principais atividades econômicas do Estado do Rio Grande do Sul, com destaque para a produção de soja, milho, laranja e cana-de-açúcar.


Desmatamento do Pampa


Apesar da importância econômica da agropecuária para a região, a pecuária extensiva e a monocultura estão afetando significativamente a biodiversidade do Pampa e causando problemas como a desertificação e a perda da fertilidade natural dos solos.


De acordo com dados divulgados, em maio de 2017, pelo MapBiomas (sistema de dados de áreas naturais), a vegetação do bioma Pampa sofreu uma redução de 38% entre os anos de 2000 e 2016.

 

Os últimos dados, divulgados em maio de 2020, foram positivos em relação ao desmatamento nesse bioma. De acordo com o projeto Mapbiomas, houve apenas 642 hectares de desmatamento em 2019. Isso corresponde a 0,1% de todo desmatamento ocorrido no Brasil no ano de 2019.


Mapa dos biomas do Brasil mostrando a localização do bioma Pampa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Última revisão: 27/02/2020

Por Jóyce Oliveira Leitão
Licenciada em Geografia (Universidade Estadual de Londrina - 2009), Bacharela em Geografia (USP - 2014) e Mestra em Geografia (Unicamp - 2017). Curriculo Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4259184T9