Guerra do Peloponeso

A Guerra do Peloponeso foi um conflito militar entre as cidades-estado de Atenas e Esparta na Antiguidade.

Guerra do Peloponeso: um dos maiores conflitos armados da antiguidade
Guerra do Peloponeso: um dos maiores conflitos armados da antiguidade

 

O que foi


A Guerra do Peloponeso foi um conflito militar entre as cidades-estado de Atenas e Esparta. Ocorreu entre os anos de 431 a.C. e 404 a.C. Esta guerra foi relatada, detalhadamente, por dois historiadores da Grécia Antiga, Xenofonte e Tucídides.

 

Contexto histórico



Para compreender melhor esta guerra é necessário entender as diferenças que existiam entre Esparta e Atenas na antiguidade. Enquanto Esparta era voltada para o militarismo, Atenas era o centro político e cultural do período. Esta guerra também envolveu outras cidades-estado que se alinharam com Atenas ou Esparta.



Principais causas da guerra:



- Os espartanos viam com desconfiança e ameaça o desenvolvimento econômico e aumento da influência política de Atenas na região da península do Peloponeso.


- Relações tensas entre as duas cidades-estado e disputa pela hegemonia política e econômica na região.



Final da guerra e consequências



A Guerra do Peloponeso terminou em abril de 404 a.C., após a rendição de Atenas e a conquista espartana em Helesponto. Os espartanos deram suporte a um golpe oligárquico em Atenas, derrubando o sistema democrático e implantando um sistema de governo autoritário conhecido como Tirania dos Trinta.



O fim da guerra derrubou o poder de Atenas na península e resultou na hegemonia política e economia de Esparta na região, com seu sistema voltado para o fortalecimento militar.

 

Principais líderes da guerra:


- Liga de Delos (liderada por Atenas): Péricles, Cléon, Nícias, Alcibíades e Demóstenes.


- Liga do Peloponeso (liderada por Esparta): Arquídamo II, Lisandro e Brásidas.

 

Péricles, estadista, orador e estrategista ateniense

Péricles: um dos principais líderes da Liga de Delos durante a Guerra do Peloponeso.

 



 

 



Última revisão: 18/09/2020.

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).