As Cruzadas Medievais

As cruzadas foram ações de caráter religioso e econômico na Idade Média.

Cavaleiros na Idade Média partindo em direção a uma Cruzada
Cavaleiros na Idade Média partindo em direção a uma Cruzada

 

O que foram as Cruzadas

 

As cruzadas foram tropas ocidentais enviadas à Palestina para recuperarem a liberdade de acesso dos cristãos à Jerusalém. A guerra pela Terra Santa, que durou do século XI ao XIII, foi iniciada logo após o domínio dos turcos seljúcidas sobre esta região considerada sagrada para os cristãos.

 

Principais causas

 

- Após o domínio da região, os turcos passaram a impedir ferozmente a peregrinação dos europeus, através da captura e do assassinato de muitos peregrinos que visitavam o local unicamente pela fé.

 

- A elevada população de algumas cidades europeias também é apontada, por muitos historiadores, como uma das causas das Cruzadas. Neste contexto, as expedições era uma forma de aliviar a pressão demográfica sobre estas cidades, pois estimularia a migração de grande quantidade de pessoas.

 

- Havia também motivações econômicas entre muitos participantes das Cruzadas. O principal objetivo desses cruzados era a obtenção de riquezas através dos saques de cidades localizadas no Oriente.

 

Objetivo principal:

 

O principal objetivo das Cruzadas era retomar o controle da Terra Santa (cidade sagrada de Jerusalém), fazendo com que ela voltasse para as mãos dos cristãos. Desta forma, os cristãos europeus poderiam a fazer peregrinações para a cidade.

 

Convocação, organização e confrontos militares

 

Em 1095, Urbano II, em oposição a este impedimento, convocou um grande número de fiéis para lutarem pela causa. Muitos camponeses foram a combate pela promessa de que receberiam reconhecimento espiritual e recompensas da Igreja; contudo, esta primeira batalha fracassou e muitos perderam suas vidas em combate.   

 

Após a Primeira Cruzada, foi criada a Ordem dos Cavaleiros Templários que tiveram importante participação militar nos combates das Cruzadas que se seguiram.

 

Após a derrota na 1ª Cruzada, outro exército ocidental, comandado pelos franceses, invadiu o oriente para lutar pela mesma causa. Seus soldados usavam, como emblema, o sinal da cruz costurado sobre seus uniformes de batalha. Liderados por Godofredo de Bulhão, estes guerreiros massacraram os turcos durante o combate e tomaram Jerusalém, permitindo novamente livre para acesso aos peregrinos. 

 

Outros confrontos deste tipo ocorreram, porém, somente a sexta edição (1228-1229) ocorreu de forma pacífica. As demais serviram somente para prejudicar o relacionamento religioso entre ocidente e oriente. A relação dos dois continentes ficava cada vez mais desgastada devido à violência e a ambição desenfreada que havia tomado conta dos cruzados, e, sobre isso, o clero católico nada podia fazer para controlar a situação. 

 

Conclusão

 

Embora não tenham sido bem-sucedidas, ao ponto de até crianças terem feito parte e morrido por este tipo de luta, estes combates atraíram grandes reis como Ricardo I, também chamado de Ricardo Coração de Leão, e Luís IX. 

 

Relação das principais Cruzadas Medievais:

 

- Cruzada Popular ou dos Mendigos (1096) - não oficial (não foi convocada pelo papa).

- Primeira Cruzada (1096 a 1099)

- Cruzada de 1101

- Segunda Cruzada (1147 a 1149)

- Terceira Cruzada (1189 a 1192)

- Quarta Cruzada (1202 a 1204)

- Cruzada Albigense (1209 a 1244)

- Cruzada das Crianças (1212)

- Quinta Cruzada (1217 a 1221)

- Sexta Cruzada (1228 a 1229)

- Sétima Cruzada (1248 a 1250)

- Cruzada dos Pastores (1251 a 1320)

- Oitava Cruzada (1270)

- Nona Cruzada (1271 a 1272)

- Cruzadas do Norte (1193 a 1316)

 

Pintura medieval mostrando uma guerra entre Cristãos e Muçulmanos na Segunda Cruzada

Pintura medieval mostrando uma guerra entre Cristãos (esquerda) e Muçulmanos (direita) na Segunda Cruzada.



As principais consequências das Cruzadas foram:

 

- As Cruzadas proporcionaram também o renascimento do comércio na Europa. Muitos cavaleiros, ao retornarem do Oriente, saqueavam cidades e montavam pequenas feiras nas rotas comerciais. Houve, portanto, um importante reaquecimento da economia no Ocidente. Estes guerreiros inseriram, na Europa, novos conhecimentos, originários do Oriente, através da influente sabedoria dos sarracenos.

 

- Não podemos deixar de lembrar que as Cruzadas aumentaram as tensões e hostilidades entre cristãos e muçulmanos na Idade Média. Mesmo após o fim das Cruzadas, este clima tenso entre os integrantes destas duas religiões continuou. 

 

- Já no aspecto cultural, as Cruzadas favoreceram o desenvolvimento de um tipo de literatura voltado para as guerras e grandes feitos heroicos. Muitos contos de cavalaria tiveram como tema principal estes conflitos.

 

Curiosidade:

 

- A expressão "Cruzada" não era conhecida nem mesmo foi usada durante o período dos conflitos. Na Europa, eram usados termos como, por exemplo, "Guerra Santa" e Peregrinação para fazerem referência ao movimento de tentativa de tomar a "terra santa" dos muçulmanos.

 

Primeira Cruzada (cruzados cercam Jerusalém em 1099)

Primeira Cruzada (cruzados cercam Jerusalém em 1099) - iluminura medieval.

 

 

VOCABULÁRIO DO TEXTO:

 

- Palestina: região do Oriente Médio localizada geograficamente entre a costa oriental do Mediterrâneo e as fronteiras da Arábia Saudita e Iraque.


- Peregrinos: pessoas que fazem longas viagens por regiões consideradas sagradas. Também são chamados de romeiros.


- Turcos seljúcidas: povo turco nômade que seguiam o Islamismo.


- Albigense: eram também conhecidos como cátaros. Faziam parte de uma seita cristã, condenada pela Igreja Católica, pois não considerava o Antigo Testamento como sendo sagrado e de manifestação divina. A maior parte dos albigenses moravam na região de Albi, na França.


- Guerra Santa: termo usado para designar conflitos que possuíam caráter religioso como, por exemplo, entre cristão e muçulmanos na época das Cruzadas.

 

 

 

 



Última revisão: 29/07/2020

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).