Formas de Governo na Grécia Antiga

Saiba quais foram as quatro formas de governo que existiram na Grécia Antiga e suas principais características.

Democracia: auge na cidade-estado grega de Atenas
Democracia: auge na cidade-estado grega de Atenas

 

Introdução

 

Entre os séculos IX a.C. e I a.C. a Grécia passou por quatro formas de governo diferentes: monarquia, oligarquia, tirania e democracia. Porém, como cada cidade-estado (polis) possuía autonomia, estas formas de governo não existiram no mesmo tempo e em todas as polis gregas. Esparta, por exemplo, não vivenciou a democracia, como ocorreu com Atenas e outras cidades-estados.

Vale dizer que o mundo grego antigo nunca foi politicamente monolítico, e a diversidade de suas formas de governo reflete a geografia variada e a natureza independente das cidades-estados.

O legado do pensamento e da prática política grega antiga teve uma influência profunda no desenvolvimento de sistemas políticos ao longo da história, incluindo o conceito de cidadania, participação cívica e o equilíbrio de poder entre diferentes ramos do governo.



1. Monarquia

 

O governo era concentrado nas mãos de um rei, conhecido como basileu. Em algumas cidades-estados o rei contava com um conselho de nobres para governar. Este conselho era geralmente formado por pessoas da família do rei. A monarquia existiu em muitas cidades-estados na fase inicial da história da Grécia Antiga, ou seja, no Período Homérico (entre 900 a.C. e 700 a.C.).

 

2. Oligarquia

 

Após o período monárquico, algumas cidades-estado como, por exemplo, Esparta, adotaram o governo oligárquico. Neste sistema, um pequeno grupo de pessoas (geralmente formado por grandes proprietários de terras) controlavam a política. Na maioria das vezes, as decisões da oligarquia privilegiavam as pessoas mais ricas da sociedade, ou seja, os nobres que formavam o governo.

 

3. Tirania

 

A tirania é uma forma de governo em que apenas uma pessoa, conhecida como tirano, governa com poderes absolutos. Geralmente este sistema era adotado por cidades-estados que viviam situações de crises graves como, por exemplo, revoltas populares. Podemos citar como exemplo de tirania o governo de Pisístrato (546 a.C. a 527 a.C.) em Atenas. Como era considerado ilegal, a tirania teve curta duração em Atenas, que retornou ao sistema democrático.

 

Pintura de Pisístrato, tirano da Grécia Antiga

Pisístrato: governou a cidade-estado de Atenas de forma tirânica entre 546 a.C. e 527 a.C.



4. Diarquia

 

Uma forma única de governo existia em Esparta, conhecida como diarquia, onde dois reis de famílias diferentes governavam simultaneamente. Esse sistema era complementado por outras instituições, incluindo uma assembleia e um conselho de anciãos, que forneciam freios e contrapesos ao poder dos reis.



5. Democracia

 

Esta forma de governo teve seu auge principalmente em Atenas, durante o Período Clássico (500 a.C. a 338 a.C.). Nela, os cidadãos, através de uma assembleia, decidiam a vida da cidade (leis, ações de justiça, medidas econômicas, etc.). Porém, somente os cidadãos podiam participar das assembleias. Para ser considerado cidadão ateniense e participar da política era necessário ser homem, adulto, nascido em Atenas e livre (não-escravo).

 

Busto de um homem com cabelo curto

Clistenes: importante para a democracia ateniense.

 

 



Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).