Deuses Gregos

Na religião e mitologia grega existiam diversos deuses e deusas.

Zeus: deus dos deuses do Olimpo
Zeus: deus dos deuses do Olimpo

 

Mitologia grega e religião

 

Na Grécia Antiga, as pessoas seguiam uma religião politeísta, ou seja, acreditavam em vários deuses. Estes, apesar de serem imortais, possuíam características de comportamentos e atitudes semelhantes aos seres humanos. Maldade, bondade, egoísmo, fraqueza, força, vingança e outras características estavam presentes nos deuses, segundo os gregos antigos. De acordo com este povo, as divindades habitavam o topo do Monte Olimpo, de onde decidiam a vida dos mortais. Zeus era o de maior importância, considerado a divindade suprema do panteão grego. Acreditavam também que, muitas vezes, os deuses desciam do monte sagrado para se relacionarem com as pessoas. Neste sentido, os heróis eram os filhos das divindades com os seres humanos comuns. Cada cidade da Grécia Antiga possuía um deus protetor.



O que os deuses representavam?

 

Cada entidade divina representava forças da natureza ou sentimentos humanos. Poseidon, por exemplo, era o representante dos mares e Afrodite a deusa da beleza corporal e do amor. A mitologia grega era passada de forma oral de pai para filho e, muitas vezes, servia para explicar fenômenos da natureza ou passar conselhos de vida. Ao invadir e dominar a Grécia, os romanos absorveram o panteão grego, modificando apenas os nomes dos deuses. 



Principais divindades da Grécia Antiga e suas características:



Nome do deus e o
que representava (funções):


Zeus: rei de todos os deuses.

 

Ares: deus da guerra

 

Hades: mundo dos mortos e do subterrâneo.

 

Poseidon: mares e oceanos.

 

Eros: deus do amor e paixão.

 

Apolo: luz do Sol, poesia, música, artes e beleza masculina.

 

Dionísio: festas, vinho e prazer.

 

Hermes: mensageiro dos deuses, protetor dos comerciantes, dos viajantes e dos diplomatas.

 

Hefesto: metais, metalurgia, fogo e trabalho.

 

Crono: tempo

 

: deus dos bosques, dos rebanhos, dos campos e dos pastores.

 

Fanes: divindade grega que nasceu do ovo cósmico, que deu origem ao tempo.

 

 

Estátua do deus grego Hades
Hades: o deus do mundo dos mortos.

 

 

AS DEUSAS GREGAS

 

Dentre as deusas gregas, as principais eram Afrodite, Atena, Ártemis e Hera.

 

No geral, essas deusas representavam as características femininas, as fases da vida das mulheres, os comportamentos positivos ou negativos, os sentimentos humanos, além de outros aspectos ligados ao ser humano e à sociedade grega antiga.

 

Pintura grega de uma mulher segurando uma lança e um escudo.

Atena: deusa grega da guerra e da sabedoria.

 

 

 

Nome das deusas e suas principais atribuições (o que representavam):

 

- Afrodite: deusa do amor, da paixão, do prazer, da sexualidade, da procriação e da beleza.

 

- Hera: protetora das mulheres, do casamento e do nascimento.

 

- Ártemis: deusa da caça, do deserto, da Lua e da vida selvagem.

 

- Atena: deusa da sabedoria, da guerra e da serenidade.

 

- Eucleia: deusa da glória e da boa reputação.

 

- Dione: deusa das ninfas.

 

- Héstia: deusa do lar e do fogo.

 

- Deméter: deusa da colheita e agricultura.

 

- Hebe: deusa da juventude.

 

- Eos: deusa do amanhecer.

 

- Nice: deusa da vitória, velocidade e força.

 

- Filofrósine: deusa da virtude, da amabilidade e da compaixão.


- Irene: deusa da primavera e da paz.

 

- Perséfone: deusa das ervas, dos frutos, das flores e dos perfumes da natureza.

 

- Despina: deusa dos mistérios e dos cultos arcádios.

 

- Selene: deusa da Lua.

 

- Éris: deusa da discórdia.

 

- Latona: deusa da noite.

 

- Ilítia: deusa das gestantes e do parto.

 

- Psiquê: deusa que personificava a alma humana.

 

- Pandia: deusa do brilho da lua e deusa dos caminhos difíceis.



Afrodite, deusa grega
Afrodite: deusa grega da beleza, da paixão e do amor na mitologia grega (pintura em ânfora grega do século V a.C.)

 

 

Estátua da deusa grega Perséfone

Estátua da deusa grega Perséfone (Museu Arqueológico de Heraklion, Creta).

 

 

Estátua da deusa grega Selene

Selene: a deusa grega que representava a Lua.

 

 



DEUSES PRIMORDIAIS DA MITOLOGIA GREGA

 

Na teogonia grega (origem dos deuses e do mundo) havia várias deidades primordiais. Estes deuses eram, para os gregos, aqueles que participaram do início do mundo e das coisas. Geralmente, estavam relacionados com elementos da natureza, princípios, valores ou sentimentos humanos.

 

Na mitologia grega, estas divindades eram usadas para explicar a origem do universo, dos fenômenos da natureza (vento, chuva, luz solar, fogo, etc.) e dos seres vivos. Grande parte da genealogia dos deuses gregos é apresentada por Hesíodo em sua obra Teogonia. Esta é uma das principais fontes para o estudo da mitologia grega.

 

Quais são os deuses primordiais:

 

Entidade Primordial:

 

Caos (entidade geradora que deu início a todas as divindades gregas, representava a origem do Universo).

 

Divindades primordiais da primeira geração:

 

Gaia (representava o planeta Terra).

 

Érebo (representava a escuridão e as trevas).

 

Tártaro (representava o mundo inferior).

 

Nix (deusa que personificava a noite). De acordo com Hesíodo (poeta grego da Antiguidade), ela era filha do Caos.

 

Eros (deus do amor) – de acordo com a Teogonia, de Hesíodo, Eros era um deus primordial.

 

Óreas (representava as montanhas).

 

 

Divindades primordiais da segunda geração:

 

Éter (representava o espaço sideral, a luz e o ar).

 

Hemera (representava o dia).

 

Ponto (representava o mar aberto e suas profundezas).

 

Urano (representava o céu).

 

Nereu (deus marinho primitivo).

 

Hipnos (deus do sono).

 

Oniro (representava os sonhos).

 

Moros (representava o destino, a sorte e a morte).

 

Tânato (representava a morte).

 

Éris (deusa da discórdia).

 

Estátua de Nereu, deus primordial da mitologia grega

Estátua de Nereu: divindade primordial da segunda geração da mitologia grega.



 

Pintura de Ponto, deus grego das profundezas do mar

Pintura representando Ponto, deus primordial (segunda geração) das profundezas do mar na mitologia grega

 

 



Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo: USP (1994).